18 maio 2015

BIOMONITORAMENTO DO AR NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

Coleta de botão floral de Delonix regia 
A Coordenação de Vigilância Ambiental em Saúde, através da Gerência de Fatores de Risco Não Biológico (GFRNB), realiza o biomonitoramento do ar com a finalidade de promover a saúde da população exposta aos fatores ambientais relacionados aos poluentes atmosféricos na Cidade do Rio de Janeiro.

O biomonitoramento pode ser realizado através de organismos como peixes, alguns invertebrados marinhos ou terrestres, vegetais superiores e líquens. O ambiente a ser monitorado pode ser aquático, terrestre ou atmosférico, de acordo com a espécie selecionada e as variantes ambientais a serem isoladas conforme a metodologia empregada. Sua análise pode ser realizada em estruturas específicas, anomalias, acumulação de contaminantes etc.

Pode ser necessária análise microscópica, uso de aparelhos sofisticados ou utilizar lesões que podem facilmente ser visualizadas por qualquer pessoa. Também pode ser considerado material de estudo a diminuição populacional de alguns dos seres citados.
Delonix regia (flamboyant)

O biomonitoramento do ar é uma estratégia para análise ambiental em saúde de baixo custo e emprega o uso das plantas como meio para analisar a exposição destas a agentes potencialmente poluentes.

Para este estudo a GFRNB utiliza uma área “livre de poluentes”, que é a área de controle negativo para comparação com o território a ser analisado através de bases de cálculos estatísticos. Atualmente são utilizados como áreas de controle negativo pontos escolhidos através de análise ambiental, considerando diversos fatores, inclusive a presença e diversidade de espécies como líquens. Esses pontos encontram-se em localidades como Alto da Boa Vista, Grumari e Serra do Mendanha.

Liquens
Plantas como Tradescantia pallida (coração-roxo), Delonix regia (flamboyant) e Bauhinia forficata (pata-de-vaca) são utilizadas para análise do processo de formação do grão de pólen. Para o estudo do coração-roxo utilizam-se mudas em jardineiras que ainda serão levadas as áreas a serem analisadas. Do flamboyant e da pata-de-vaca são analisados botões florais das árvores identificadas nas localidades a serem pesquisadas.

A equipe de Biomonitoramento, na etapa atual do projeto, está desenvolvendo as seguintes atividades:
  •      Cultivo e replicação de mudas da Tradescantia pallida (coração roxo), coleta de material botânico de acordo com a espécie utilizada;
  •      Identificação de outras espécies que poderão ser utilizadas para o biomonitoramento;
  •      Georeferenciamento das espécies já selecionadas pela equipe como bioindicadoras;
  •      Análise quantitativa e qualitativa dos dados produzidos pelas amostras coletadas que serão correlacionados aos dados de emissão de poluentes de fontes fixas e móveis.


Equipe na área de controle negativo (Alto da Boa Vista)
Cultivo de Tradescantia pallida (coração-roxo)
Equipe: Girlaine Rodrigues Negreiros de Oliveira – Coordenadora; Ademar da Paixão Lima; Mariza de Salles Guerra Guzzo; Márcio Rogério da Silva; Marcelo Santos Pinto.

15 maio 2015

ESCRITÓRIO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A REDUÇÃO DO RISCO DE DESASTRES – CENTRO DE EXCELÊNCIA PARA REDUÇÃO DO RISCO DE DESASTRES (UNISDR – CERRD)

Pergunte ao Especialista - Comunicação de Riscos
Gostaríamos de divulgar a participação da Professora Cilene Victor, da Faculdade Cáper Líbero no PreventionWeb, na iniciativa Ask an Expert que é apoiada pelo UNISDR, cujo propósito é fomentar a troca de informação e conhecimento no campo de RRD
Nesta iniciativa Ask an Expert (Pergunte ao Especialista), um especialista fica uma semana de plantão, online, para responder dúvidas e impressões sobre a sua área de atuação. 
Nesta semana, de 11 a 17 de Maio, temos a grata presença da Professora Cilene Victor que responderá perguntas sobre comunicação de riscos. E o mais importante ela poderá responder estas perguntas em português.
Convidamos todos para aproveitar esta oportunidade e também pedimos que divulguem esta plataforma. Contamos com o seu apoio.
Encaminhamos abaixo o link para acesso. 
 *******
Sobre UNISDR: UNISDR é o escritório das Nações Unidas dedicada à redução do risco de desastres. É liderado pelo Representante Especial do Secretário-Geral para a Redução do Risco de Desastres e apoia a implementação do Marco de Sendai para a Redução do Risco de Desastres 2015 - 2030.

CLIPPING: ALTERAÇÃO COMPORTAMENTAL DE ANIMAIS SINALIZA, DIAS ANTES, A OCORRÊNCIA DE TERREMOTOS

José Tadeu Arantes | Agência FAPESP – O dado de que alterações no comportamento dos animais sinalizam, com horas ou dias de antecedência, eventos como os terremotos já era conhecido. Especialmente noticiada foi a disparada dos elefantes asiáticos para terras altas por ocasião do terremoto seguido de tsunami de 26 de dezembro de 2004. Muitas vidas humanas foram salvas graças a isso. Mas tais eventos ainda não haviam sido documentados de maneira rigorosa e conclusiva. Nem fora estabelecida uma correlação de causa e efeito entre essa modificação do comportamento animal e fenômenos físicos mensuráveis.
Isso ocorreu agora em pesquisa realizada por Rachel Grant, da Anglia Ruskin University (Reino Unido), Friedemann Freund, da agência espacial Nasa (Estados Unidos), e Jean-Pierre Raulin, do Centro de Radioastronomia e Astrofísica Mackenzie (Brasil). Artigo relatando o estudo, “Changes in Animal Activity Prior to a Major (M=7) Earthquake in the Peruvian Andes”, foi publicado na revista Physics and Chemistry of the Earth.
O físico Jean-Pierre Raulin, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, participou do estudo no contexto do projeto de pesquisa “Monitoramento da atividade solar e da Anomalia Magnética do Atlântico Sul (AMAS) utilizando uma rede de receptores de ondas de muita baixa frequência (VLF) - SAVNET - South América VLF network”, apoiado pela FAPESP.
“Nosso estudo correlacionou alterações no comportamento de aves e pequenos mamíferos do Parque Nacional Yanachaga, no Peru, com distúrbios na ionosfera terrestre, ambos os fenômenos verificados vários dias antes do terremoto Contamana, de 7,0 graus de magnitude na escala Richter, que ocorreu nos Andes peruanos em 2011”, disse Raulin à Agência FAPESP.
Clique aqui para ver a matéria completa.

Fonte: Agência FAPESP. Disponível em: <http://agencia.fapesp.br/alteracao_comportamental_de_animais_sinaliza_dias_antes_a_ocorrencia_de_terremotos/21049/>. Acesso em: 15 MAI 2015.

04 maio 2015

CLIPPING: MESOTELIOMA JÁ PROVOCOU MAIS DE 3 MIL MORTES NO PAÍS

O pesquisador do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da ENSP Francisco Pedra concedeu entrevista à Rádio Nacional, no dia 24/4, em reportagem que abordou a proibição do uso de amianto no estado do Mato Grosso. Conforme explicou o pesquisador, a fibra é causadora do mesotelioma, um câncer que ocorre nas membranas de revestimento dos órgãos humanos, e a asbestose pulmonar. Pedra informou que entre 1980 e 2010, no Brasil, ocorreram 3 mil e 700 mortes por mesotelioma.

CLIQUE AQUI para ver a reportagem completa.

Fonte: Informe Ensp. Disponível em: <http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/materia/detalhe/37602>. Acesso em: 04 MAI. 2015.

20 abril 2015

CLIPPING: PRIMEIRO CASO DE RAIVA HUMANA EM 20 ANOS É CONFIRMADO EM PACIENTE DO HU

Um homem de 38 anos, que não teve a identidade divulgada, está internado no Hospital Universitário, em Campo Grande, com confirmação de raiva humana, doença viral, que pode levar à morte e é transmitida a partir da saliva de animais infectados.

O paciente, que recebe tratamento em regime de isolamento, foi mordido por um cão na cidade de Corumbá, onde mora, a 419 quilômetros de Campo Grande.
De acordo com o médico infectologista Maurício Pompílio, o homem respira com ajuda de aparelhos e está em coma induzido. "Estamos atendendo todos protocolos vigentes na tentativa de salvar o paciente, mas a doença é muito agressiva, muito grave, apesar de não ser transmitida facilmente entre humanos mas, sim, por mordida de animais em humanos", explica.
Ainda segundo o especialista, a doença não é comum em humanos e as chances de cura são quase nulas. "No Brasil, há somente um caso de sobrevivência por raiva,  registrado em 2008, em um jovem de Pernambuco que sobreviveu ao tratamento", completa.
Por isso, órgãos de saúde locais tentam, junto ao Ministério da Saúde, acesso aos mesmos remédios utilizados no tratamento do paciente pernambucano. "A expectativa é de que amanhã esses medicamentos cheguem em Campo Grande", afirma o médico.
Mato Grosso do Sul não registra caso de raiva humana há mais de 20 anos, desde 1994. No entanto, Corumbá vive surto de raiva animal. O caso mais próximo foi registrado em 2009 na Bolívia.
Fonte: Campo Grande News. Disponível em: <http://www.campograndenews.com.br/cidades/primeiro-caso-de-raiva-humana-em-20-anos-e-confirmado-em-paciente-do-hu>. Acesso em: 20 ABR. 2015.

18 abril 2015

CLIPPING: A DENGUE EXPLODE EM SÃO PAULO ENQUANTO NO RIO QUASE DESAPARECE

A cidade de São Paulo consegue juntar o melhor de um país desenvolvido com cenários típicos de uma nação miserável: seca e falta de água, chuvas e inundações, e uma epidemia de dengue, doença que pode ser prevenida com medidas básicas. Para completar este panorama, o município ganhou nas últimas semanas grandes tendas para o atendimento de milhares de pacientes com os sintomas desta doença. Em uma delas, instalada ao lado da Unidade Básica de Saúde de Vila Palmeiras, dezenas de pessoas já esperavam às oito e meia da manhã desta quinta-feira para ser atendidas. Rostos abatidos. Olhos semiabertos. Cansaço. Aguardavam sentados em cadeiras de plástico dentro desta estrutura metálica, coberta por um lona branca. Outros, seja por falta de lugar ou pelo frio do ar-condicionado, preferiam esperar do lado de fora. “Durante toda a semana estive com muita febre e dor de cabeça. Até que ontem não conseguia levantar”, conta Leori, de 32 anos.
Este cenário não é exclusivo de São Paulo, uma vez que todo o Brasil tem vivido uma nova epidemia de dengue neste ano, sem que os especialistas no assunto saibam os motivos concretos. Mas um detalhe chama a atenção com relação as duas maiores cidades do país: São Paulo (11,3 milhões de habitantes) segue a tendência nacional e já contabilizou 31.980 casos entre janeiro e abril (até agora, 8.063 deles foram confirmados autóctones, ou seja, contraídos no município) e quatro mortes pela doença, em contraste com os 7.861 casos no mesmo período do ano anterior; já o Rio de Janeiro (6,3 milhões de habitantes) registrou 1.080 casos.
Os especialistas apontam para vários fatores, mas dois deles podem ter sido determinantes: o próprio ciclo da doença nesses territórios, cuja incidência sofre grandes variações em determinados anos, e os trabalhos de prevenção que vêm sendo realizados pelas prefeituras e os próprios cidadãos. Dessa forma, a cidade maravilhosa caminha para mais um ano de baixa incidência, depois de dois anos seguidos de queda: 130.412 casos 2012, 66.278 em 2013, e 2.649 em 2014, segundo a Prefeitura.
Clique aqui para ver a reportagem completa.
Fonte: El País. Disponível em: <http://brasil.elpais.com/brasil/2015/04/17/politica/1429296266_761323.html>. Acesso em: 18 ABR. 2015.

13 abril 2015

CLIPPING: CENTRO DE EXCELÊNCIA PARA A REDUÇÃO DO RISCO DE DESASTRES (UNISDR-CERRD) - INFORMATIVO 02/2015

Temos um novo Marco Global. O Marco de Sendai para a Redução do Risco de Desastres 2015 - 2030 aprovado na Terceira Conferência Mundial das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres realizada na cidade de Sendai, Japão de 14 - 18 de março de 2015.
O novo Marco de Sendai para a Redução do Risco de Desastres 2015 – 2030 representa um grande avanço sobre o Marco anterior (o Marco de Ação de Hyogo). O novo Marco tem como meta alcançar nos próximos 15 anos: A redução substancial dos riscos de desastres e perdas de vida, meios de subsistência e saúde e dos ativos econômicos, físicos, sociais, culturais e ambientais das pessoas, empresas, comunidades e países.
O Marco de Sendai abrange riscos de pequena e grande escala, de frequência intensa ou eventual, desastres súbitos e de caminhamento lento, causados pelos riscos naturais e os de ação antrópica bem como os riscos e perigos ambientais, tecnológicos e biológicos relacionados. Tem por objetivo guiar o gerenciamento dos desastres a partir de um enfoque multirrisco e multissetorial.
O novo Marco tem um foco maior na prevenção do risco, estabelece diretrizes principais, propõe sete metas, estabelece uma articulação clara entre as ações à nível nacional, local e regional, e global, destaca as ações de reconstrução e saúde, e define as responsabilidades de todas as partes interessadas.
Aproximadamente 50 brasileiros participaram de todos os eventos em Sendai sob a liderança do Ministro da Integração Nacional Sr. Gilberto Occhi (foto acima).
Clique aqui para ver a matéria na íntegra.
Fonte: Centro de Excelência para a Redução do Risco de Desastres (UNISDR-CERRD). Disponível em: <http://unisdr.cmail20.com/t/ViewEmail/i/7C01C0A216E93BBE/8BCF49C1BA9D366A0F8C96E86323F7F9>. Acesso em: 13 ABR. 2015.

11 abril 2015

PLANO DE SAÚDE DO SERVIDOR MUNICIPAL: COMEÇOU PRAZO DE ADESÃO SEM CARÊNCIA.

O Previ-Rio abriu, dia 10, novo prazo para adesão sem carência, migração ou cancelamento do Plano de Saúde do Servidor Municipal. Para aderir ao PSSM; mudar de operadora, ou cancelar o seu contrato atual, o servidor ou o pensionista deve entrar no sistema PSSM On line, disponível no site do Previ-Rio, no endereço www. rio.rj.gov.br/web/previrio, e manifestar a sua opção. Os interessados em realizar sua adesão ou mudança de operadora neste novo período passarão a ser assistidos pela empresa escolhida a partir de 1º de junho, sem qualquer prazo de carência. Neste período será possível incluir novos dependentes, como filhos, pais, cônjuges e companheiros. O servidor descontará 2% de sua remuneração, no plano referência.

Clique aqui para ver o comunicado na íntegra.

PSSM - migração 2015

Fonte: Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro | Poder Executivo | Ano XXIX | Nº 17 | Quinta-feira, 09 de abril de 2015.

07 abril 2015

SMS CELEBRA O DIA MUNDIAL DA SAÚDE COM AÇÕES NAS UNIDADES



No dia 7 de abril, é celebrado o Dia Mundial de Saúde. Para comemorar a data, a Secretaria Municipal de Saúde irá promover uma série de atividades nas unidades de atenção primária de saúde do município, no qual os usuários poderão participar de atividades de promoção de saúde, como feiras, palestras e distribuição de preservativos e materiais informativos.

Clique aqui para ver a programação completa.

Fonte: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://www.rio.rj.gov.br/web/sms/exibeconteudo?id=5285157>. Acesso em: 07 ABR. 2015.

CLIPPING: ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA COMEMORAR O DIA MUNDIAL DA SAÚDE

Hoje, 7 de abril, é comemorado o Dia Mundial da Saúde. A data, estabelecida pela Organização Mundial de Saúde, marca os desafios da saúde pública enfrentados ao longo dos anos. O consumo equilibrado de alimentos é um dos principais pilares para uma boa saúde, e por isso, este ano, o Blog da Saúde irá comemorar a data com o tema “alimentação”.
Sabe-se que o consumo excessivo de calorias e uma oferta desequilibrada de nutrientes na alimentação estão associados à evolução de doenças crônicas, como a hipertensão, doenças do coração e alguns tipos de câncer, além de uma maior frequência de obesidade e diabetes entre na população. De acordo com o Guia Alimentar da População Brasileira, edição lançada em 2014, o Brasil vem enfrentando aumento expressivo do sobrepeso e da obesidade em todas as faixas etárias, e as doenças crônicas são a principal causa de morte entre adultos. O excesso de peso acomete um em cada dois adultos e uma em cada três crianças brasileiras.
Padrões de alimentação que substituem alimentos in natura ou minimamente processados de origem vegetal, como arroz, feijão, mandioca, batata, legumes e verduras, por produtos industrializados prontos para consumo geram desequilíbrio na oferta de nutrientes e a ingestão excessiva de calorias. Matheus Fabiano Ferreira dos Anjos, 18 anos, morador de Niterói, no Rio de Janeiro, conta que sua alimentação durante a infância era baseada em alimentos com excesso de gordura e ultraprocessados. “Minha alimentação sempre foi errada, era salgadinho, pizza, doces, só coisas que fazem mal e coisas gordurosas”, relata o jovem que chegou à obesidade ainda na adolescência.

Veja a matéria completa no Blog da Saúde.

Fonte: Blog da Saúde. Disponível em: <http://www.blog.saude.gov.br/index.php/35384-alimentacao-saudavel-para-comemorar-o-dia-mundial-da-saude>. Acesso em: 07 ABR. 2015.