08 novembro 2016

MORTE DE PRIMATAS NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - NOTA DE ESCLARECIMENTO 2

Em relação a ocorrência de mortes de primatas não humanos (macaco, mico, sagui), desde o dia 11 de outubro de 2016 , cumpre informar que, conforme exames já realizados, os resultados emitidos pelos Laboratórios da FIOCRUZ-RJ, concluíram: 


  •  Pesquisa de vírus febre amarela, zika, chikungunya, com resultado Negativo 
  •  Pesquisa para a família Herpesviridae, com resultado - Positivo para HSV-1 (Herpes 1). 
Diante dos resultados, podemos sugerir que, até o momento, não há evidências de circulação de doenças transmitidas por vetor urbano, como o Aedes aegypti, entre os animais analisados, o que poderia acarretar riscos à saúde da população. Para tanto, as equipes da Prefeitura continuarão mobilizadas para a realização das ações de vigilância, seguindo as recomendações do Grupo Técnico de Vigilância das Arboviroses/MS. 


Mantemos a recomendação de que a população precisa evitar proximidade de animais doentes, ou mortos, por questões de segurança. No Município do Rio de Janeiro, frente a identificação de novos casos, informar imediatamente à Central de Atendimento 1746, 24hs por dia, 7 dias na semana. 

Quando fora do município do Rio de Janeiro, a comunicação é, em horário comercial de segunda a sexta, a Vigilância Ambiental da Secretaria Estadual de Saúde, nos telefones 2333.3899 ou 2333.3842. Após as 17:00hs, nos fins de semana e feriados, entrar em contato com o Plantão CIEVS SES 98596 6553. 

Rio de Janeiro, 07 de Novembro de 2016