09 agosto 2013

Clipping: TESTES DE VACINA CONTRA MALÁRIA TÊM RESULTADOS PROMISSORES, DIZ PESQUISA

Cientistas atenuaram formas do protozoário 'Plasmodium' para vacina.
Mais estudos para determinar duração da proteção são necessários.

Substância imunizante da vacina,
que contém esporozoítas atenuados
(Foto: Divulgação/
Stephen Hoffman/"Science")
Cientistas americanos afirmam ter obtido  resultados promissores com testes de uma vacina contra a malária. A pesquisa, publicada nesta quinta-feira (8) no site da renomada revista "Science", diz que eles conseguiram atenuar e depurar versões do protozoário Plasmodium falciparum, os chamados esporozoítas, responsáveis por causar a doença.

Essas "formas ativas" do protozoário (na verdade os esporozoítas são uma de suas fases, segundo o site da Fiocruz) são normalmente encontradas na saliva do mosquito Anopheles quando ele está infectado. A vacina foi segura e tolerada quando administrada em média de quatro a cinco vezes por via intravenosa, dizem os pesquisadores.

A primeira fase dos testes clínicos envolveu mais de 50 adultos. Voluntários receberam a vacina por um ano. Um grupo recebia quatro doses periodicamente, equanto outro recebia cinco. No primeiro grupo, cerca de um terço desenvolveu malária, enquanto o segundo não teve nenhum doente.
"Os dados indicam que há um limite imunológico para a aplicação das doses que estabelece um alto nível de proteção contra a malária, e pode ser atingido pela administração da vacina de forma segura e com padrões regulares", diz o estudo.

Quanto mais doses ministradas - até um certo ponto - maior o número de anticorpos contra esporozoítas observados no sangue dos voluntários, afirmam os cientistas.
Eles ponderam que o imunizante precisa ser aplicado por via intravenosa - o mais comum é a aplicação intramuscular, intradermal e outros tipos, segundo a pesquisa.

Novos estudos são necessários para determinar a duração da proteção da vacina, assim como para saber o quão efetiva é a imunização contra as demais cepas de Plasmodium falciparum. Os cientistas também consideram ser importante pensar em outras maneiras de aplicação da vacina, já que pela pela via intravenosa pode ser complicado em uma grande população.

Disponível em: <http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2013/08/testes-de-vacina-contra-malaria-tem-resultados-promissores-diz-pesquisa.html>. Acesso em 09 ago. 2013