21 maio 2012

PREFEITURA REALIZA 7º SIMULADO PARA CHUVAS FORTES

Adesão dos moradores de 18 comunidades, que receberam os equipamentos de alerta em 2012, foi de 70%

A Defesa Civil Municipal realizou neste domingo, dia 20 de maio, um simulado de desocupação em 18 comunidades que já contam com o Sistema de Alerta e Alarme para chuvas fortes. Sétimo exercício desde que o sistema foi implantado, em 2011, o exercício, que teve adesão de cerca de 70% dos moradores, foi feito em comunidades localizadas nos bairros do Estácio, Rio Comprido, Catumbi, Santa Teresa, Botafogo, Ipanema, Copacabana, Cosme Velho, Praça Seca, Jacarepaguá, Lins de Vasconcelos e Tomás Coelho.

Moradores de 2.554 residências de áreas de risco dessas comunidades foram convocados a participar do exercício. Cerca de 600 pessoas, entre técnicos da Defesa Civil, agentes comunitários e de meio-ambiente e voluntários, orientaram a população no acesso aos pontos seguros de cada comunidade. Quando as sirenes foram acionadas, às 10h da manhã, moradores previamente cadastrados deixaram as suas casas e se dirigiram a um dos 33 pontos de apoio pré-definidos pela Prefeitura. Houve sinalização para indicar as rotas mais seguras até os pontos.

- O simulado de hoje foi um sucesso, com participação maciça da população. É importante que o morador dessas áreas de alto risco entenda que deve confiar no sistema, que é acionado caso o a Defesa Civil e Alerta Rio identifiquem que as chuvas chegaram a níveis críticos nesses locais -, afimou o subsecretário de Defesa Civil, Márcio Motta, que acompanhou a ação na Comunidade de São Carlos, no Estácio.

O exercício simulou uma situação que pode acontecer em caso de ocorrências de chuvas fortes. Nessas ocasiões, a comunicação com os agentes e as lideranças das comunidades é feita por meio de SMS (torpedos) para aparelhos celulares cedidos pela Prefeitura. Todas as comunidades que possuem o sistema contam com representantes treinados para o uso dos aparelhos.

Os agentes e líderes comunitários recebem também um relatório fotográfico da sua área e uma cartilha com orientações. Os moradores das áreas também ganham material educativo para orientá-los e familiarizá-los sobre o funcionamento do sistema. A Prefeitura realiza mensalmente, desde julho de 2011, exercícios simulados em todos os locais que têm o sistema instalado.

No ano de 2011, 66 comunidades receberam o Sistema de Alerta e Alarme, com 220 pontos de apoio e 116 estações de sirenes, alcançando 16.458 famílias (imóveis). A implantação começou em janeiro daquele ano. Foram realizados cinco exercícios simulados. Em 2012, mais 35 comunidades, com um total de 3.478 imóveis, também receberam o sistema. O Morro do Borel foi o primeiro a receber o serviço.

O sistema de alerta e alarme é acionado caso a Defesa Civil e o Alerta-Rio identifiquem que as chuvas chegaram a níveis críticos nestes locais. Com o auxílio de agentes da Defesa Civil, de lideranças comunitárias e de moradores da própria comunidade, que passaram por capacitação, a população das áreas de risco é encaminhada para pontos seguros mapeados na região.