19 abril 2012

PLANO ESTRATÉGICO PÓS 2016 - DOWNLOAD

clique aqui para fazer download (2013-2016)
O prefeito do Rio, Eduardo Paes, apresentou na noite de terça-feira, dia 17, o Plano Estratégico da Cidade que reúne 56 metas e 58 iniciativas a serem executadas nos próximos quatro anos. Durante o evento, realizado nos Galpões da Gamboa, na Zona Portuária, o prefeito destacou a necessidade de se ter uma cidade mais integrada, internacional, que volte a sonhar e que seja capaz de realizar, superando o passado para planejar o futuro.

O plano agrupa metas e iniciativas em 10 áreas de resultado: saúde; educação; transportes; habitação e urbanização; ordem e conservação; desenvolvimento econômico; gestão e finanças públicas; meio ambiente e sustentabilidade; cultura e desenvolvimento social.
"São ideias muito concretas e, quando se faz um plano como esse, ousado, o que a gente quer é comprometimento para conseguir passar por qualquer barreira, obstáculo" - Prefeito Eduardo Paes.

Como inovação, Paes citou a iniciativa da criação do Conselho da Cidade, por meio do qual 150 cidadãos das mais diferentes áreas, como jornalismo, arquitetura, engenharia, economia, artes, e meio ambiente, além de entidades de classe e associações civis, podem refletir sobre a visão de futuro e definir o Rio que o carioca deseja viver, trabalhar e conhecer.

clique aqui para fazer
download (2009 - 2012)
Além de ampliar a participação da sociedade com a criação do conselho, o poder público municipal também realizou pesquisas de opinião e somou mais de duas mil horas de reuniões com integrantes do governo e da sociedade civil.

Sobre a escolha do local para a realização do evento, o prefeito falou que a Zona Portuária é objeto da maior parceria público-privada do Brasil e que representa, atualmente, um terço de todas as parcerias do tipo, somando R$ 8 bilhões.

- Esse espaço é o coração desse Rio que a gente quer que surja. Estamos aqui numas dessas lendas urbanas, que durante tanto tempo a gente ouviu que ia ser revitalizada e, hoje, está recebendo obras de infraestrutura de R$ 4 bilhões, sem que a prefeitura tenha investido dinheiro público, explicou o prefeito. 

Metas contemplam educação, saúde, transportes, entre outras áreas.